Já reparou que muitas vezes estamos perto de alcançar um sonho ou objetivo e então acabamos deslizando e perdemos aquilo que tanto buscamos? O nome disso é auto sabotagem; Auto sabotar é uma característica única do ser humana; os demais animais quando estão perto de alcançar seus objetivos, não desgrudam os olhos do alvo, porém, nós, seres humanos, temos uma estranha condição, um estranho ‘outro eu’ dentro de nós, que nos freia, nos agarra e impede que avancemos ao próximo estágio.

Oi, leitor pra você que chegou neste Post, o artigo abaixo foi escrito com base na 5º lição da CPAD para a classe de Jovens do 1º trimestre de 2019.

lição de jovens 2019-1

As Delícias de Cápua.

Em uma das batalhas mais bem conhecidas do mundo antigo, Aníbal Barca, derrotou a mais poderosa força romana, reunida em seu tempo; 8 legiões, mais tropas auxiliares, foram massacradas na batalha de Canas. Naquela batalha, a má comunicação dos comandes romanos, aliados a subestimação dos inimigos africanos, permitiram que Aníbal Barca, envolvesse as tropas romanas, em vantagem numérica, em um imenso bolsão de carne e ferro, onde não conseguiam se locomover, ou recuar para a retaguarda, sobrando senão a luta desesperada pela vida. O desfecho desta batalha foi surpreendente, pois os romanos não esperavam serem derrotados, e os cartagineses, não esperavam uma vitória.

batalha de canas inicio

A partir da vitória esmagadora sobre a força romana, nada mais impedia que Aníbal Barca e suas forças atacassem e conquistassem Roma. Os cartagineses, se recuperaram da batalha e marcharam em direção a Roma, porém, no meio do caminho chegaram a cidade de Cápua, que os recebeu de portões abertos e com saudações de boas vindas; os soldados cansados da marcha e da constante guerra de atrito, foram seduzidos com a ideia de uma breve pausa para descanso; acabou sendo a pior decisão da vida Aníbal Barca, decisão que lhe custaria a captura de Roma. Um mero final de semana de descanso, se transformou em 5 anos de pequenas lutas contra legiões romanas. Durante este tempo, o senado romano, teve o tempo de organizar as defesas da cidade, e arregimentar novas legiões, passando novamente, a ofensiva. No final da guerra, Aníbal Barca foi convocado a voltar para Cartago, já que os romanos, decidiram atacar a cidade, ao em vez de derrotá-lo; no fim, ele teve perto da vitória, porém, se auto sabotou.

batalhas de canas final

O Escravo Dentro de Nós

Assim que o povo chegou ao limite do Deserto do Sinai com a terra prometida, Moisés enviou 12 espias, para que recolhessem informações sobre a terra a ser conquistada; após dias de espionagens e recolhimento de informações, os 12 espias, voltaram, trazendo frutos da terra, e com só frutos, a confirmação de que a terra era mesmo um local abundante e perfeito para morar, entretanto, tinha algo a mais, a terra era cruel com os invasores, pois, ali residiam, povos fortes, gigantes e as cidades eram cercadas de muralhas.

UMA PAUSA, PARA OS COMERCIAIS…RSRSRS

Imagine ser rejeitado por sua família, ser escravizado, ser punido com a prisão por um crime que não cometeu, e ainda assim, superar tudo isso e alcançar seu sonho? Conheça a surpreendente história de José, e as lições que podemos tirar dela, para vencemos os obstáculos de nossa vida!

jose-pq

Bastou dizer ao povo hebreu que teriam que lutar para conquistar a terra, que eles se angustiaram ao ponto de toda a nação chorar copiosamente- imagina, isso: 3 milhões de pessoas chorando ao mesmo tempo; a angustia e a desilusão foram tão grandes, que o povo decidiu matar a Moisés, Arão e todos os que os apoiavam, só não conseguiram, porque a Glória de Deus, envolveu a Moisés e Arão e povo recuou; entretanto, resolveram, voltar ao Egito, para isso procuraram entre os lideres rebeldes, alguém que soubesse o caminho de volta; Só não voltaram, porque a nuvem, que os guiavam no deserto, havia dado várias voltas em locais diferentes, fazendo com que o povo perdesse a noção de distância e direção em relação ao Egito.

Mas porque o povo se revoltou? A resposta era o eu interior, o espírito de Escravo que estava dentro deles. Este espírito derrotista é revelado pela fala dos 10 espias contrários a conquista:

Observe Números 13.25-32:

Ao fim de quarenta dias eles voltaram da missão de reconhecimento daquela terra.
Eles então retornaram a Moisés e a Arão e a toda a comunidade de Israel em Cades, no deserto de Parã, onde prestaram relatório a eles e a toda a comunidade de Israel, e lhes mostraram os frutos da terra. E deram o seguinte relatório a Moisés: “Entramos na terra à qual você nos enviou, onde manam leite e mel! Aqui estão alguns frutos dela.
Mas o povo que lá vive é poderoso, e as cidades são fortificadas e muito grandes. Também vimos descendentes de Enaque.Os amalequitas vivem no Neguebe; os hititas, os jebuseus e os amorreus vivem na região montanhosa; os cananeus vivem perto do mar e junto ao Jordão”. Então Calebe fez o povo calar-se perante Moisés e disse: “Subamos e tomemos posse da terra. É certo que venceremos! ” Mas os homens que tinham ido com ele disseram: “Não podemos atacar aquele povo; é mais forte do que nós”. E espalharam entre os israelitas um relatório negativo acerca daquela terra. Disseram: “A terra para a qual fomos em missão de reconhecimento devora os que nela vivem. Todos os que vimos são de grande estatura.

Repare:

Memória Curta

O povo hebreu tinha derrotado o maior e mais poderoso exército da região, o exército egípcio. Entretanto, duvidam da própria capacidade em derrotar os povos cananeus, que eram subjugados pelos egípcios. Quem você acha que estava falando na boca dos espias? O escravo interior! Não havia passado nem 2 meses, que Deus dera uma vitória sensacional sobre os egípcios e povo hebreu já tinha esquecido do incrível milagre divino.

Agora pense ai: quantas vezes, nos momentos difíceis, conseguimos lembrar das vitórias que tivemos no passado? A verdade é que escravo dentro de nós, não consegue se desgarrar do passado, e fará de tudo para que você não se lembre das vitórias que teve fugindo da escravidão.

Falta de Autoestima

É incrível o que autoconfiança faz em uma pessoa. Pensa nisso: você enfrentaria um gigante guerreiro, com apenas um estilingue e 5 pedras nas mãos? Davi enfrentou, porque estava motivado! Ele sabia que podia vencer aquele gigante, porque já havia enfrentado problemas maiores! Leões e ursos são bem mais letais do que pessoas! Por fim tinha um belo prêmio chamado Merabe a sua espera. Porém quando lemos a fala dos espias de Israel, observamos que eles sentiam-se inferiores aos demais povos da região; “Não podemos atacar aquele povo; é mais forte do que nós”, repare nestas palavras, eram verdades? Obvio que não! Israel poderia não ter o mais bem treinado exército, mas em números, era largamente superior, a qualquer povo cananeu.Mas porque eles não conseguiam pensar neste detalhe? O escravo interior, os fazia sentir se pequenos! Os vitimava! Tornava-os servos do vitimismo, da autocomiseração! Isto, leitor, era as algemas que os prendia ao Egito, psicologicamente. Somente uma mudança drástica de Mentalidade, colocaria aquele povo na Terra prometida!

Desmotivados

Você já consegui conquistar um sonho, sem estar motivado por ele? Obvio que não, afinal, se você não está motivado, é porque não é seu sonho. Mas repare um detalhe no povo hebreu, de números 13; Eles estão marchando para terra prometida, porém sem motivação alguma, para conquistá-la! Se realmente estivessem, motivados, não teriam dado ouvidos as más notícias a respeito do sonho. No fundo, as mas notícias a respeito de Canaã, só expôs pra fora, aquilo que o povo sentia, a reversão ao desconforto da conquista.

A verdade é que a terra prometida era um sonho de Deus e uma promessa divina a Abraão, contudo, o povo hebreu não desejava este sonho. Sabe qual era a real vontade do povo? Viver no Egito! O que povo realmente queria, quando pedi a Deus por intervenção, é que livrasse do sofrimento da escravidão, porém, eles não queriam sair do Egito! Ele queriam viver de forma estável na região! Queriam casar-se, plantar, cultivar, criar e construir em terras egípcias! Desejavam uma completa integração e assimilação com a cultura egípcia! Porém Deus responde suas orações de forma diferente do que eles queriam, ao em vez de estabilidade, receberam mudanças bruscas, ao em vez de conforto no Egito, receberam um deserto de riscos e desafios.

O povo hebreu, não estavam motivados a conquistar uma nova terra, sua real motivação era viver uma vida confortável no Egito! Como poderiam se arriscar na luta por algo melhor, se o desejo deles era por estabilidade?

Falando, estabilidade… Se teve um cara na bíblia que pouco se importou com isso, foi Elias! A verdadeira Estabilidade de Elias era sua fé, no cuidado de Deus.

Elias foi um dos caras mais resilientes da Bíblia, justamente, porque soube suportar as dificuldades da vida, mais nem sempre foi assim… que ver? As 10 lições que aprendi com o profeta Elias.

elias-pq

Cuidado com a estabilidade, geralmente, o seu escravo interior esta acorrentado a ela!

Uma Mente Escravizada, Sabota Todo Esforço de Mudança

Já parou pra pensar, se o povo de Israel tivesse ficado no Egito? Difícil mensurar, mas com certeza o mundo seria diferente, em nossos dias. Deus conhece a história, tanto a real, quanto a que poderia ter acontecido.

Não obstante, Deus ordenou ao povo que na noite em que 10º praga fosse executada contra os egípcios, o povo hebreu deveria comemorar a páscoa, completamente, preparados para uma viagem sem volta. O real motivo divino, era corta-os laços do povo Hebreu com Egito, queimar as pontes com a cultura egípcia. Se os hebreus tivessem ficado 1 semana a mais no Egito, jamais sairiam do lugar, não porque, os egípcios impediriam, mas porque, eles teriam conseguido, a almejada estabilidade financeira e politica que desejavam dentro do país. Naquele momento, em números de soldados, em riquezas de metais preciosos e em comida, animais e saúde física, os hebreus superavam com folga os egípcios. Portanto, Deus ordenou ao povo uma saída rápida, sem tempo para conversa e aliança politica.

Hoje precisamos tomar, a mesma resolução; não é possível seguir o sonho de Deus e viver estavelmente no Egito. Não é possível, cumprir o propósito divino em minha vida, sem matar o sonho do escravo egípcio, dentro de mim!

Os hebreus saíram do Egito, mas o escravo do Egito, continuava dentro deles. É incrível como mente escravizada, sabota, todo esforço para mudar a realidade. Dentro de nós, existe um outro eu, que dita qual é limite do nosso sonho; transformar a mentalidade deste, eu interior é uma tarefa árdua e gradual, e foi o que Deus fez com a nação hebreia; transformou uma expedição de 40 dias em 40 anos, para que a mentalidade do povo, fosse transformada.

Lembre-se disso, nenhum escravo, entra na terra prometida!

Anúncios