Sabe qual é o único mandamento que se quebrado, o pecado não é perdoado por Deus? É o 3º que diz: “não usem o meu nome em vão; mas o que isso significa? Deus está dizendo que o nome dele deve ser respeitado, temido e santificado em meio ao povo. Quando Deus diz que não se deve usar o nome dele em vão, significa que não posso colocar o nome de Deus, em nada que traga vergonha a sua causa ou desonre sua divindade.

Oi, leitor pra você que chegou neste Post, o artigo abaixo foi escrito com base na 3º lição da CPAD para a classe de Jovens do 1º trimestre de 2019.

lição de jovens 2019-1

A forma mais comum de usar o nome de Deus em vão em nossos dias, é fazendo o mal em nome de Deus. Todas as crueldades e perversidades feitas em nome Deus, trazem desonra para seu nome, além disso, atrapalha que outras pessoas reconheçam IAVÉ, como Senhor.

Tempos atrás vi uma reportagem, de um pretenso pastor, que transava com a esposa de um membro de sua igreja, com conhecimento e anuência do marido, o motivo de praticar o ato era porque o tal pastor jurava de pé junto, que nunca encontrara na bíblia, proibição para o homem ter mais de uma mulher; por sua vez, a mulher havia tido um sonho em que transava com o pastor e tinha um filho dele, ela contou o sonho ao marido, convenceu-o que isso era de Deus e assim foram eles praticar o adultério ‘santo’; quando a história se tornou pública, foi um grande escândalo na cidade e o caso se tornou conhecido nacionalmente por uma reportagem do fantástico, trazendo ainda mais escândalo ao nome de Deus; a história pode ser encontrada em vídeo no youtube. Porem o mais surreal da história é o repórter corrigindo o pastor, demonstrando a ele que seu erro, estava na falta de uma leitura atenta da palavra.

Mas o que isso tem a ver com história de Israel e a caminhada no deserto do Sinai? Deus queria que o povo israelita aprendesse a santificar seu nome em suas vidas. Este processo nos chamamos de santificação. Muitas vezes entendemos que a santificação é um processo humano, onde o homem se torna melhor para agradar a Deus, porém, é inverso, a santificação é um processo, onde Deus, através da regeneração promovida pelo espírito santo, através de sua palavra, nos capacita para sermos testemunhas do nome de Deus.

E por falar em mudança de mentalidade, conheça a história de José!

Imagine ser rejeitado por sua família, ser escravizado, ser punido com a prisão por um crime que não cometeu, e ainda assim, superar tudo isso e alcançar seu sonho? Conheça a surpreendente história de José, e as lições que podemos tirar dela, para vencemos os obstáculos de nossa vida!

jose-pq

O objetivo de Deus para com o povo de Israel foi este desde o princípio. Os israelitas eram o povo de IAVÉ; o povo que deveria tornar conhecido o nome de Deus na terra e santificá-lo entre os povos; porém é impossível santificação sem que haja mudança de mentalidade; temos uma mente carnal que busca fugir do convívio com eterno Deus, e esta mentalidade tem que morrer, ou amenos, ser enfraquecida para que a mente de Cristo, nos faça parecer-se com Ele. Somente quando parecemos com Jesus é que podemos carregar o nome de Deus em nossa testa, sem envergonhá-lo ou escandalizarmos seu nome.

Para que o povo de Israel pudesse carregar o nome de Deus em seus estandartes, IAVÉ, obrigou o a observação de algumas regras como os 10 mandamentos e mais algumas outras regras de comportamento e liturgia;

Estas regras foram ensinadas repetidamente ao povo no deserto, para que ficasse inculcada na mente de cada israelita; Deus exigia de seu povo pureza espiritual, social, e nos relacionamentos para que seu nome não fosse manchado pelas atitudes do povo israelita;

Porém ao longo da caminhada no deserto, ficou claro que o povo até queria ser os representantes de IAVÉ, porém, não queriam seguir as regras impostas por Deus, decidiram criar suas regras e ainda assim levar o nome de Deus; tal pecado foi severamente punido com a morte de todos os adultos que saíram do Egito, nem mesmo Moisés escapou das consequências de tornar o nome de Deus em vão.

Santificação no Deserto

É interessante a decisão que IAVÉ faz em levar o povo de Israel ao deserto do sinai, em vez de ir direto a Canaã. Deus sabia que aquele povo não estava pronto para santificar seu nome, em meio as nações pagãs; eles precisavam entender quem era IAVÉ E o que o diferenciava dos demais deuses dos povos da terra. Somente assim os israelitas não tratariam o nome de IAVÉ como um deus a mais na mitologia cananéia.

Muitas vezes não entendemos o porque de Deus não permitir uma vitória rápida e decisiva em nossas vidas; muitas vezes aquilo que sonhamos, desejamos ou necessitamos, está ao alcance dos nossos olhos, porém somos impedidos por Deus de alcançá-los sem que antes tenhamos consciência de nosso papel como testemunha do nome de Deus na terra.

Infelizmente muitos cristãos querem representar a Deus, mais sem obedecer aos seus termos e regras; acabam fazendo o que Davi fez, quando levou a arca da aliança da casa de Abinadabe para Jerusalém; em vez de seguir as regras que Deus impõe, resolve seguir o que deu certo para os filisteus; no lugar dos sacerdotes carregando nas costas, o peso da arca, ela é posta sob um carro de boi e tocada para Jerusalém, a fim de que o nome de Deus seja glorificado; porém, Deus não pode ser glorificado por pessoas que não seguem suas regras e termos, logo, alguém acaba morto e a presença de Deus é esquecida em um local qualquer.

Deus vem segundo seus termos! Elias entendia bem essa regra. antes de sacrificar ao SENHOR, sua primeira atitude foi consertar o altar dedicado a IAVÉ. Conheça a história de vida destes homem, um cara ‘gente, como a gente’.

Elias foi um dos caras mais resilientes da Bíblia, justamente, porque soube suportar as dificuldades da vida, mais nem sempre foi assim… que ver? As 10 lições que aprendi com o profeta Elias.

elias-pq

Mas porque, a despeito dos inúmeros avisos que Deus nos dá, a respeito da santidade do seu nome, insistimos em empregá-lo em nossa testa, sem cumprirmos as regras impostas por ELE?

A resposta é simples: conveniência; sempre buscamos praticidade e facilidades em nossas vidas; estamos acostumados a uma vida onde tudo tem que ser rápido, indolor e com mínimo de desconforto possível; porém quando aplicamos esta regra ao mundo espiritual, as coisas não acontecem do nosso jeito; Deus impõe regras que precisamos respeitar; as regras impostas por Deus exigi sacrifício de desejos e vontades de nossa carne; ou respeitamos a Deus ou fazemos o que nossa natureza humana deseja; porém alguns espertinhos, como o Davi de 2 Sm 6, acham que podem servir a Deus e viver para mundo, logo, copiam uma prática de filisteu, que deu certo para quem não conhece a Deus e espera que Deus aceite as coisas assim mesmo, afinal, Deus deu uma colher de chá para os filisteus, tem que dá para os israelitas também; o problema é que Deus não deu leis e nem confiou a honra do seu nome aos filisteus e sim aos israelitas e quando estes não a obedecem, alguém morre;

Volte a Davi. Porque ele não cumpriu as regras divinas desde o princípio? Porque exigiam disponibilidade de tempo e sacrifícios de riqueza. Nenhuma pessoa podia carregar a arca da aliança nas costas, além dos sacerdotes purificados; arca não podia ser movida sem que o Deus dela fosse reverenciado; tinha que ter sacrifícios ao seu nome; tudo isso demandava tempo de preparação e organização e sacrifício de interesses; nada podia ser mais aprazível do que o nome de Deus para Davi.

Não é diferente hoje; muitas vezes queremos levar o nome de Deus, sem tirar tempo para ele; queremos ser reconhecidos como servos de Cristo sem colocá-lo em primeiro lugar em nossas vidas; queremos ser cheio do Espirito Santo, vendo séries, filmes e novelas que enojam o santo Deus de Israel; queremos carregar o nome de Deus e ao mesmo tempo, sermos reconhecidos pelo mundo como pessoas legais. É impossível! Alguém vai morrer! O nome de Deus não pode ser tratado com desprezo!

LEMBRE-SE é impossível sermos Elvis Presley e Billy Graham ao mesmo tempo!

Anúncios