Quando o mar está calmo, qualquer barco navega bem.  William Shakespeare

Já se perguntou, o porque de Deus ter levado o povo hebreu para o deserto do Sinai, em vez de levá-los diretamente a terra prometida, isto é Canaã?

Oi, leitor pra você que chegou neste Post, o artigo abaixo foi escrito com base na 1º lição da CPAD para a classe de Jovens do 1º trimestre de 2019.

lição de jovens 2019-1

O livro de Números é conhecido na cultura judaica como o livro do deserto, pois trata, da peregrinação do povo no deserto do sinai; ele começa com um recenseamento da população que sai do Egito e termina com recenseamento do povo que sobreviveu ao deserto, porém, a melhor definição, em minha opinião, é o livro do deserto, pois esta palavra é repetida por quase 50 vezes. Mas sabe qual é a principal lição que podemos extrair deste livro: Mudança de Mentalidade. É no livro de Números que esta registrado a mudança de mentalidade do povo hebreu, e a importância que isto teve para que pudesse conquistar a terra prometida.

Para o leitor que não leu a bíblia, ou não conhece o livro de Números, IAVÉ libertou através de Moisés, o povo hebreu da escravidão egípcia por volta do ano 1440 A.C prometendo-lhes que os levariam a uma terra que ‘manava leite e mel’, porém, após serem libertos da escravidão, IAVÉ direcionou-os ao deserto do Sinai, um dos mais inóspitos do mundo antigo; não se tratou de um erro de percurso, pois o caminho para Canaã era bem conhecido e podia ser facilmente percorrido pelo povo, no máximo em 6 meses, contudo, o caminho em que IAVÉ os levou, era desconhecido e foi percorrido em 40 anos. Portanto, voltemos a pergunta inicial: Porque Deus levou o povo hebreu para o deserto do Sinai, em vez de ir direto a Canaã? A resposta é simples: eles tinham mentalidade de escravo!

Escravos, porém Libertos!

Mas porque Deus os levou ao deserto? Para mudar-lhes a mentalidade de escravo! O povo hebreu viveu por 430 anos no Egito, boa parte do tempo, foram servos assalariados de faraó, porém nos anos finais tinham se tornado escravos dos egípcios; outro importante detalhe é que a escravidão não era contínua e total, os egípcios utilizavam de sua força de trabalho para a construção de obras arquitetônicas em alguns períodos do ano, dando a oportunidade dos hebreus, descansarem e pastorearem seus rebanhos no período oposto; Além disso, não era todo hebreu que trabalhava arduamente, geralmente os mais velhos e os meninos eram poupados, outro importante detalhe é que muitos hebreus recebiam trabalhos de supervisão de seus colegas ou trabalhavam na criação do gado egípcio, serviço que os egípcios deploravam; Com o passar dos anos se tornou aceitável a escravidão ao povo hebreu, somente, após, os serviços se tornarem mais duros e atingirem uma maior camada da população hebreia, foi que passaram a clamar por libertação.

Quebrando paradigmas

No processo da escravidão, o povo hebreu perdeu o senso de independência, de responsabilidade pela própria vida; o motivo era que os egípcios se encarregavam de tudo quanto fosse necessário, para que os hebreus tivessem o máximo possível de produtividade na construção de suas obras arquitetônicas e no cuidado de seus rebanhos, assim, o povo hebreu não se preocupava em plantar ou colher a própria comida, isto era responsabilidade de seus patroes egípcios; o povo não se preocupava em tecer a lã ou linho, isto era responsabilidade de seus patroes egípcios; o povo não se preocupava em fazer cálculos ou provimentos para as construções e mineração, isto era responsabilidade dos egípcios; o povo não se preocupava em treinar artes marciais ou o uso de armas de guerra, isto era responsabilidade dos egípcios. Com o passar do tempo, o povo hebreu estava completamente entrelaçado ao povo egípcio, servindo-os, sem que pudessem ter incentivos para a busca da independência politica e intelectual;

Transformando escravos em vencedores!

Quais são as semelhanças entre a zebra e leão? Ambos nascem precisando de ajuda dos pais para sobreviver, precisam correr para sobreviver, precisam viver em grupo para aumentar suas chances de sobrevivência e no fim, apenas o Leão é coroado o rei dos animais! O motivo é a mentalidade do felino! A zebra pensa como um herbívoro, como uma presa; o Leão, por menor que seja, carrega dentro de si o instinto de predador, de dono, de senhor dos demais animais! É engraçado que uma zebra adulta é maior e mais pesada do que um leão adulto, porém, seu instinto de vítima, impele-a correr, a fugir e se esconder em meio a manada, do que enfrentar o leão.

O povo hebreu ao sair do Egito tinha mentalidade de Zebra, uma mentalidade de escravo; Em números de soldados tinha mais 600 mil homens prontos para guerra, mas quantos desses sabiam manejar uma espada, quantos haviam tido um treinamento militar, quantos sabiam o que era disciplina? A verdade é que o povo hebreu tinha números exorbitantes, porém, era mal nutrido, mal preparado para guerra, não tinha capacidade de logística militar, não sabia tomar decisões por si próprios, afinal, estavam acostumados a seguir as decisões dos egípcios e por fim, o mais importante: não tinha autoconfiança e nem confiavam em Deus.

leão atacando

A verdade é que aquelas pessoas precisavam morrer para que a mentalidade de escravo morresse junto! E foi o que Deus fez, matou todos os escravos no deserto! O povo que nascerá no deserto ou que era criança no Egito, foram os que entraram em Canaã. O motivo era que pensavam como vencedores e agiam como leões. Todo leão sabe que tem correr atrás da caça, sabe que dificilmente encontrará comida fácil, porém, sabe usar sua força e autoridade para roubar presas caçadas de outros predadores; De fato, era assim que o povo hebreu que entrou em Canaã pensava, eles sabiam que teriam de lutar para conquistar, porém, eles também sabiam que IAVÉ estava com eles! Sabiam que tomaria a terra e que não precisariam plantar ou criar, mas colheriam e apascentariam o que outros haviam plantado e criado, e não tiveram vergonha disso!

A Importância do Deserto

O deserto treinou aqueles homens e mulheres em vencedores, que uma geração antes, eram formados por escravos. Enquanto seus pais estavam acostumados a dormir em uma cama, eles estavam acostumados a dormir no chão em meio areia, cobras e escorpiões; Enquanto seus pais estavam acostumados aos deuses inexpressivos do Egito, eles estavam acostumados a um Deus poderoso, que falava e agia visivelmente; Enquanto seus pais estavam acostumados a comer as sobras que os egípcios davam, eles comiam maná, vindo do céu; Enquanto seus pais estavam acostumados a comer miúdos ou as piores carnes dada pelos egípcios, eles comiam carne de qualidade; Enquanto seus pais não sabiam o que era logísticas, Deus os treinou com a logística do tabernáculo para que pudessem estar preparado com a logística de guerra; Enquanto seus pais nunca se acostumaram as mudanças bruscas de temperatura do deserto, eles se tornaram resistentes as mudanças repentinas; Enquanto seus pais estavam acostumados a uma vida sedentária, eles sabiam conviver com nomadismo; O fato é que deserto forçou a nova geração a não aceitar os antigos hábitos dos pais, não contaminando-se com a mentalidade derrotista.

E por falar em Deserto… Elias foi um dos caras mais resilientes da Bíblia, justamente porque sabia suportar as dificuldades da vida, mais nem sempre foi assim… que ver? As 10 lições que aprendi com o profeta Elias.

elias-pq

O Amor de Deus

Deus não mudou sua forma de agir com seus filhos. Não pense você que Deus lhe dará bençãos, riquezas e cumprira promessas em sua vida sem que você passe por um deserto pessoal em sua vida. O motivo é trocar sua mentalidade de escravo, de vítima, de um derrotado por uma mentalidade de vencedor, de responsável pela própria vida, em resumo, Deus quer lhe dá uma mentalidade semelhante à de Jesus Cristo.

Mas ai vem aquela pergunta, se Deus me ama, porque permite o sofrimento em minha vida? Afinal Ele já não sabe de tudo sobre mim? De fato Deus nos conhece bem, porém, nós precisamos conhecer-nos melhor, para isso, precisamos passar por períodos de grande estresse. Mas porque precisamos saber mais, sobre nós mesmos? Deus quer dá o melhor para seus filhos, porém, é preciso que eles tenham responsabilidade para transformar as bençãos de Deus em maldição para suas vidas, e isso, só possível através da responsabilidade, que por sua vez é desenvolvida através da maturidade, e esta, só é alcançada pela sobrevivência as provações.

Imagine ser rejeitado por sua família, ser escravizado, ser punido com a prisão por um crime que não cometeu, e ainda assim, superar tudo isso e alcançar seu sonho? Conheça a surpreendente história de José, e as lições que podemos tirar dela, para vencemos os obstáculos de nossa vida!

jose-pq

Se você está passando por um deserto em sua vida, lembre-se que ele não é eterno, uma hora acaba, em algum momento, você vai atravessá-lo completamente; Por fim, lembre-se que Deus não um pai irresponsável que entrega a chave do carro ao filho adolescente, se Ele vai te dar algo grande, Ele vai te preparar primeiro.

“A bênção do Senhor é que enriquece; e não traz consigo dores.” Pv 10.22

Anúncios