Já reparou nos mendigos e andarilhos de sua cidade? É interessante observar a interação deles com a sociedade; Em minha cidade existi um andarilho conhecido por samurai, devido a sempre estar com sobretudo preto e uma haste de metal nas costas; Ele praticamente não fala, responde as perguntas com acenos de cabeças, e por mais que você ofereça a ele comida, não aceita! Não sei como se alimenta, mas sei que anda a cidade toda e é conhecido por todos aqui; Uma das coisas que me chama atenção nele, é a capacidade de ficar parado, completamente imóvel por horas, enfrente a um aparelho de televisão, não adianta lhe oferecer comida, nestes momentos, o único interesse dele é o que se passa na TV; Se uma pessoa, o conhece de vista, nos momentos em que ele está vendo TV, nem repara mais em sua presença, algumas vezes nem o nota, é como se ele ficasse invisível.

Oi, leitor pra você que chegou neste Post, o título acima corresponde a 11º lição da CPAD para a classe de Jovens do 3º trimestre de 2018.

Lições Bíblicas 3° Trimestre de 2018 - Jovens Professor – CPAD

E por falar em invisibilidade, a nossa lição trata sobre este tema, contado a história da cura por Jesus, de um homem ‘invisível’, este homem não era visto e nem lembrado por seus vizinhos, devido a uma má formação de sua mão direita; Na época em que Cristo viveu, a sociedade judaica tinha uma forte discriminação negativa contra pessoas deficientes ou enfermas, o motivo era que nesta época, os judeus acreditavam que uma pessoa só nascia com deficiência física ou mental, devido a pecados dos seus pais, ou futuros pecados que a pessoa pecaria contra Deus, portanto, já recebia a culpa e castigo no nascimento.

A primeira discriminação negativa que um deficiente físico ou mental sofria era a da própria família. Isto ocorria por dois motivos, o primeiro envolvia a vergonha pública que deficiente trazia a família, o segundo motivo, era o peso que este deficiente agregava as contas da família, afinal, dificilmente conseguiria trabalhar, logo, sobrava a mendicância(mendigar moedas); Geralmente as famílias que tinham algum deficiente, o escondiam ao máximo da vista da sociedade, e quando o deficiente alcançava idade suficiente para se cuidar sozinho, era posto para fora da casa.

A segunda discriminação negativa que um deficiente físico ou mental sofria era a de sua vizinhança. O motivo era que os judeus acreditavam que uma pessoa que nascia com má formação congênita, era alguém amaldiçoado por Deus, logo, era bom manter distância deste tipo de pessoas, para não irritar o Todo Poderoso. Outro motivo para a discriminação negativa, era que os sacerdotes e escribas ensinavam que um objeto sagrado poderia ficar imundo se fosse tocado ou compartilhado por alguém imundo (Ageu 2.12-14), os fariseus e doutores da lei moisaica, levaram esta regra ao extremo, quando passaram a ensinar que uma pessoa que nascia em pecado ou devido ao seu futuro pecado ou pecado de seus pais(deficientes físicos e mentais) era portadora de pecado e imundície e podia contaminar cerimonialmente, a todos quanto, a tocassem, logo, era necessário não se aproximar delas e nem permitir que estas ficassem próximas ao resto do povo.

A terceira discriminação negativa que um deficiente físico ou mental sofria era religiosa. Por não ser poder entrar no templo em jerusalém e nem ser aceito nas sinagogas, os deficientes estavam alijados completamente da vida religiosa e social da comunidade judaica e galileia, logo, não tinham nenhum conforto espiritual ou psicológico em relação a dor que sofriam. Eram relegados a sobreviver a cada dia sem uma esperança futura, porém, Jesus Cristo mudaria este paradigma em dia de sábado em uma sinagoga.

A cura do homem invisível

Jesus sabia de toda e sofrimento que um deficiente físico sofria vivendo na comunidade judaica ou galileia de seu tempo. Ele mesmo fora considerado por muito tempo alguém amaldiçoado por Deus devido sua fisionomia e constituição física, Is 53.4; o evangelho de marcos relata que Jesus subiu ao palco que ficava no centro da sinagoga e perguntou aos fariseus, se era lícito curar uma pessoa no sábado, com esta pergunta, estava demonstrando que havia uma dureza e falta de compaixão no coração daqueles que achavam obedecer a Deus, logo, após isso Jesus relembra aos fariseus presentes que estes davam mais valor a vida dos animais de estimação e criação, do que a vida dos seres humanos, dizendo: se uma ovelha caiu em uma vala, no sábado, vocês não irão resgatá-las? Por outro lado, por que não poderia curar alguém no sábado? Neste momento Jesus chama um homem que estava escondido nas sombras da sinagoga de forma que ninguém o avistasse e fosse obrigado a sair do local, chama-o ao centro do palco e ordena que este mostre a sua mão direita, quando ele a retira a mão do meio das vestes, o povo olha atônito para Jesus e para o deficiente, afinal, ele não deveria estar ali e Jesus não poderia tocar nele, contudo, o mestre ordena a ele que estenda a mão e após ele obedecer, a sua mão é curada.

Com este milagre Jesus quebra as 3 discriminações que aquele deficiente enfrentou durante sua vida. A discriminação familiar, a discriminação social e a discriminação religiosa. Na hora em que Jesus ordena a ele que mostre ao povo sua mão mirrada, Cristo, opera a cura emocional pois todo o deficiente físico, na época de Cristo, fazia o possível para esconder sua deformidade, a cura física completa o milagre.

Muitas pessoas em nossos dias vivem como aquele homem, são invisíveis a sociedade e mesmo a igreja de Cristo, mas isto não significa que não tenha solução e nem que haja um caminho de volta.

A bíblia relata que Jesus é o mesmo ontem, hoje e amanhã, isto significa que ele continuar restituindo vida social, religiosa, familiar e financeira, a quem perdeu tudo!

Talvez você leitor tenha criticas a respeitos dos cristãos e das igrejas, mas Jesus Cristo ainda opera milagres e se você se sente invisível, destituído de amigos, família e sonhos, Jesus pode mudar a sua vida! Porem é necessário você tomar algumas atitudes semelhantes a que o homem da mão mirrada tomou, a primeira é se arriscar a procurar Jesus, segundo, não se importar com o que as pessoas vão dizer a respeito de você, e a terceira é confiar e obedecer a Cristo em tudo quanto ele ordenar a você fazer. Foi desta forma que aquele deficiente físico alcançou o milagre, ele entrou em local que não devia entrar por causa de Jesus, depois, não se importou com o que as pessoas falavam e pensavam sobre ele e, por fim, obedeceu a Jesus em tudo.

E quanto aos fariseus…

É interessante notar que os fariseus não queriam que Jesus curasse alguém no sábado, mas não tiveram nenhuma objeção em montar uma estratégia para matar a jesus no dia considerado por eles, como sagrado.

Esta atitude diz muito sobre as pessoas de nosso tempo. Quando você ouvir que fulano quer salvar a humanidade ou mundo, mas coloca as regras, teses e teoria acima do bem-estar e das escolhas individuais de cada ser humano, desconfie, existe ali, apenas mais um autoritário com tendências genocidas. De fato regras e leis são importantes no tocante ao limitar o que é certo e errado e quando começa o direito individual, porém, quando estas regras querem te obrigar a viver de um jeito específico, apenas para agradar algum ‘salvador’, cuidado, você está se tornando escravo de um regime. A verdade é que APENAS DEUS tem o poder de ditar regras para a humanidade e fiscalizar sua execução, porém, ele não obriga ninguém a segui-las a força, antes, oferece perdão aqueles que arrependidos se voltam a Ele em busca de socorro e refúgio.

E ai, gostou do  artigo? Que tal abençoar minha vida? Tenho 2 livros, físico e e-book, publicados na Amazon que podem abençoar ainda mais a sua vida. Desde já, obrigado por sua Generosidade, e que Deus o abençoe cada vez mais!

As 10 Lições que aprendi com José

jose-pq

As 10 Lições que aprendi com o profeta Elias

elias-pq

Anúncios