Trabalho em um local que as pessoas tem incentivos para não trabalhar e nem fazer o seu melhor. Sou funcionário Público, minha maior dificuldade não é o serviço que faço, nem mesmo meus superiores ou governo de ocasião, minha maior dificuldade é vencer o sistema de incentivo que tenho em um serviço Público. Se trabalho bem, não irei ganhar nada mais por isso, se trabalho mal não vou perder um centavo de meu salário, nem mesmo se meus chefes reclamarem, ainda assim eles estão de mãos atadas, no momento é praticamente impossível demitir um funcionário publico(neste momento corre um projeto de lei no parlamento,buscando demitir funcionários públicos que não estejam cumprindo suas metas e objetivos da função. sou 100% a favor da proposta). Resultado:No fim o que faz o cara trabalha bem ou mal em uma repartição pública é a consciência dele. Quanto a mim tenho buscado fazer o meu melhor onde estou, acredito que estarei servindo bem a Deus se servir bem ao Público. Entretanto, não sou santo.Nem sempre estou motivado e algumas vezes tenho falhado no meu propósito, contudo, quando olho para minha própria vida a 2 anos atrás, percebo que melhorei muito e ainda continuo melhorando. A medida em que melhoro, tenho carregado comigo uma visão para meu futuro : Sair do serviço público. Desenvolver o que aprendi na universidade como Analista de Sistemas e com a experiência e o capital adquirido ao longo do tempo, montar meu próprio negócio e nunca mais depender do estado ou governo. Em resumo, quero ser um produtor de riquezas e não mais um dependente da riqueza alheia tomada pelo estado através dos impostos. Já que não da pra fugir do Leviatã, quero ser o cara que empresta e não  o que toma emprestado, o cara que é uma fonte de benção e não aquele que vive da fonte alheia.

A Bíblia ensina um meio pelo qual podemos alcançar a prosperidade material: chama se trabalho constante. Uma das coisas pelo qual me alegro, é o fato de que deixe de ser um preguiçoso habitual. Não digo que não tenho mais momentos de ócio, contudo eles já  não  são constantes, tenho conseguido fazer um pouco mais a cada dia, do que fazia anteriormente. Este blog, por exemplo, é fruto de um trabalho que faço regularmente. não sou pago para faze-ló, mais tenho dedicado meu tempo e dinheiro, por que tenho uma visão para o futuro e este blog e meus livros me ajudaram a alcançar esta visão;

Acredito que você leitor também sonhe ou tenha uma visão para seu futuro, a palavra de Deus nós da um excelente conselho para alcança-ló.Este artigo a seguir, me chamou atenção e resume bem o que Deus espera de cada um de nós. 

Por:Let God be True.

O que guarda a figueira comerá do seu fruto; e o que vela pelo seu senhor será honrado.Provérbios 27:18

O sucesso é fácil, até mesmo para os homens humildes e simples. Tudo que você tem a fazer é cuidar bem do seu bem sucedido empregador e ele cuidará bem de você. O homem que cuida da figueira é o que comerá do seu fruto e o servo fiel será recompensado pelo seu senhor. Aqui temos outro provérbio que exorta os homens sábios a serem diligentes e fiéis em suas vocações.

Você pode apostar nesta regra geral! Deus faz raras exceções para fins mais importantes, mas se você quer progredir, faça o seu patrão feliz de tal forma que ele não conseguirá resistir de incluí-lo nas ações mais importantes. Isso já ocorreu várias vezes antes; e acontecerá novamente. Um servo sábio pode ser promovido à frente de um filho tolo. Veja os comentários de Provérbios 17:2. 

Homens fiéis são raridades em nossos dias (IITm 3:1-5) o que torna este provérbio ainda mais verdadeiro do que o era nos dias de Salomão. O contraste entre a sua diligência e a preguiça dos outros será maior ainda – o mesmo é verdade com respeito à sua disposição e ao ressentimento dos outros, de sua pontualidade e da impontualidade deles, dos seus cuidados e da desatenção deles e da sua obediência à resistência deles. Creia nisso! Encontre a sua figueira e cuide dela melhor do que os outros. O sucesso é fácil! 

Um rapaz jovem, com a média das habilidades, inicia a sua vida profissional num restaurante “fast food”. Ele vem de uma raça diferente e de outra parte da cidade do seu patrão. O garoto teme a Deus e lê o livro de Provérbios todas as manhãs. Ele chega cedo ao trabalho, extremamente limpo, alegre, bem disposto e continua à toda velocidade o dia todo, sem reclamação ou pausa. Ele só sabe trabalhar a toda a velocidade e cada vez mais rápido, jamais reduzindo a sua disposição. Ele explica com modéstia que andar lentamente faz com que o dia se arrasta cada vez mais e rouba os lucros do seu patrão!

Ele segue rigorosamente todas as regras, traz o seu próprio lanche, nunca falta ao trabalho, sempre procura novas tarefas durante os momentos menos agitados, limpa uma área maior do que a que lhe foi designado, realiza o trabalho de dois ou três colegas durante o período de pico, ajuda um cliente a trocar um pneu furado, enfia o braço até os ombros na caixa de gordura para recuperar um “timer”, não belisca um pedaço sequer de fritas, nunca questiona o seu patrão, não oferece sugestões tolas e é sempre amigável e respeitoso com todas as pessoas.

Antes de deixar o trabalho do dia, ele agradece o patrão pelo seu emprego e ainda se oferece a fazer o que for necessário. Quando é informado que um empregado do turno seguinte acaba de ligar para informar que está doente quando, na realidade, ele quer tirar o dia para pescar, ele, com entusiasmo, se oferece a dobrar o turno, mesmo que tivesse um jogo de futebol com os amigos aquela noite. Ele alegremente trabalha o segundo turno a toda a velocidade, fecha com segurança a loja, deposita a renda do dia no banco e coloca a correspondência do patrão no correio. 

Quando ele começou a trabalhar, só ganhava o salário mínimo. Depois de um ano ele já era supervisor. Depois de dois anos ele era Assistente do Gerente. Depois de três anos ele era o mais jovem Gerente de Loja na história da cadeia de lojas. Depois de três anos ele ganhou 25% de participação nos lucros, além do seu salário e o patrão foi gozar sua aposentadoria em outra cidade. Depois de seis anos, o proprietário faleceu deixando no seu testamento o resto da participação societária na loja. Hoje ele é proprietário de cinco lojas e já está pensando onde ele pretende gozar a sua própria aposentadoria. 

Bom demais para ser verdade? José começou a trabalhar ganhando o salário mínimo – de um escravo e, em treze anos ele estava sentado no trono da mais rica nação do mundo! Ele encontrou em seu caminho, três figueiras e ele era o melhor tratador que as três figueiras tinham visto – Potifar, o carcereiro e Faraó! Seja Deus verdadeiro! 

Bom demais para ser verdade? Jacó fugiu de casa só levando o seu cajado. Vinte anos mais tarde, ele tinha quatro esposas, doze filhos e muita riqueza! Ele havia encontrado uma figueira, uma velha árvore retorcida com potencial e ele cuidou bem dela apesar dos reveses – Labão! Seja Deus verdadeiro! 

Bom demais para ser verdade? Elias era apenas um arador de terra quando ele encontrou a sua figueira, o serviço de Deus e Eliseu. Mas ele foi tão fiel no serviço dos seus dois patrões que acabou recebendo a porção dobrada do espírito de Eliseu (IRs 19:19-21; IIRs 2:1-15). Seja Deus verdadeiro! Que cada homem de Deus atenda ao seu chamado real como um servo do Rei dos reis! 

Leitor, de que forma você cuida da sua figueira? Diligência fiel traz honra! Servindo o seu mestre lhe traz promoção! Não reclame; trabalhe! Você não precisa de uma educação; você precisa é de santificação! Você não precisa de brilho; você precisa de diligencia! Você não precisa de um padrinho; você precisa de um motor propulsor! Você não precisa de uma oportunidade; você precisa é de humildade! 

Em primeiro lugar você deve encontrar uma figueira. Um poste não é uma figueira. Pode ser de madeira, mas ele não dá fruto; assim, um negócio que está falido ou falindo não é o lugar onde você desejaria estar, não importa o quanto você goste ou acredite nele. Se o negócio não está produzindo dinheiro, adivinhe o que? Ele não está dando lucro! Assuma o seu prejuízo! Você pode manter o poste consigo na cama, mas o poste não vai produzir frutos! 

Um poste de linha telefônica não é uma figueira, mesmo sendo de madeira e bastante alto; a “oportunidade de negócio” ou um padrinho com um relógio brilhante é apenas um engodo, mesmo que ele aparenta ter “riqueza” emprestada. Tais homens não têm uma verdadeira figueira, pois se a tivessem eles estariam se alimentando dos figos dele e não tentando agarrar os seus figos! Se ele não tem um negócio sem você, não dê o seu potencial de negócios a ele! 

Uma árvore “Ficus” de seda não é uma figueira, mesmo que possa parecer com uma à vista de olhos gananciosos e apressados; portanto não dê ouvidos a possibilidades hipotéticas que são boas demais para serem verdadeiras. Se parecerem boas demais para serem verdade, são mentiras! Suficientemente simples? Jogue fora os padrinhos ou promotores (Pv 12:11; 14:23). Encontre uma verdadeira figueira! 

Você precisa de uma figueira verdadeira que produza frutos que você pode ver e tocar – um negócio bem sucedido numa indústria demandada que tenha potencial. Salomão recomendou a agricultura (Pv 12:11; 27:23-27; 28:19)! Alimento funciona (Ec 5:9)! Venda no atacado funciona (Pv 31:24)! Comércio de imóveis funciona (Pv 31:16)! E quase tudo funciona, se as pessoas já as necessitam e/ou as desejam. 

Em segundo lugar, cuide bem de sua árvore. A Bíblia lhe ensina como. Não subtraia um centavo sequer (Tt 2:10), não responda ao seu patrão (Tt 2:9), não envergonhe o seu patrão (Pv 17:2), nem procure enganar uma única vez (Ec 10:1). Você trabalha mais do que qualquer outro (Pv 22:29), fale só quando falarem com você (Pv 29:19), agrade bem o seu patrão em tudo (Tt 2:9), sempre respeite a autoridade (Ec 10:7), trabalhe com vivacidade (Pv 14:35), e mostre cordialidade (Pv 18:24). É fácil! Pegue a fruta e coma-a! 

Em terceiro lugar, tudo que fizer no serviço ou fora do serviço, faça-o como se o fizesse para o Senhor Jesus, com um coração fervente, comprometido com a Sua glória (Ef 6:5-7; Cl 3:22-23). Se você colocar o Seu reino em primeiro lugar na sua vida, Ele acrescentará tudo o mais que você possa desejar ou necessitar (Mt 6:33; IRs 3:10-13). 

Leitor, não diga que já fez tudo isso e que ainda está no primeiro degrau da escada, pois a regra é verdadeira tanto quanto qualquer outro versículo da Bíblia. É tão certa quanto a lei da gravidade. Você está trapaceando em alguma parte, pois a regra funciona! Você tem uma árvore? Você está cuidando bem dela? O Senhor está em primeiro lugar? 

E se você conseguir uma árvore errada? Impossível, se você fizer um esforço razoável para evitar postes, postes de telefonia, e árvores “Ficus”. O seu Mestre no céu verá seu cuidado pela árvore errada e o recompensará apropriadamente (Ef 6:8; Cl 3:25). Acredite nisto! A árvore é a parte menos importante da equação; seu serviço e o seu Mestre no céu têm muito mais a ver do que isto. Ele endireitará o problema da sua árvore, quando você limpar os seus negócios! Você se esqueceu de Moisés? Davi? Mardoqueu? Daniel? 

O que dizer da sua figueira religiosa? Saulo de Tarso, ignorantemente, escolheu uma árvore horrível – ela produzia ameixas venenosas – mas ele se manteve fiel a ela. Ele não tinha uma idéia melhor; mas ele foi perfeitamente fiel àquilo que ele conhecia. Por esta razão o seu Mestre o promoveu à posição de Apóstolo dos Gentios pela sua fidelidade (ITm 1:12-14). Dê a glória a Deus! Como é que você está cuidando de sua árvore? Como todo o coração? Ou com uma duplicidade da mente? Deus pode lhe considerar fiel? 

Leitor regenerado, existe uma figueira gloriosa que só você conhece. É o Senhor Jesus Cristo e o Seu reino. Jesus disse, “Se alguém me servir, meu Pai o honrará.” (Jo 12:26). Quanta honra? Jesus disse novamente, “Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa, e, chegando-se, os servirá.” (Lc 12:37). Não! Isto pode ser verdade? Certamente que há uma recompensa para o justo (Sl 58:11). 

Eu estou ouvindo o Abençoado e o Único Mestre dizendo, “Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor.” (Mt 25:21,23). Temos aqui uma importante figueira – o Senhor Jesus Cristo. Como é que você O está servindo? Uma coroa aguarda o fiel (IITm 4:7-8)! 

Quão gloriosa será essa honra? “Nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão. E verão o seu rosto, e na sua testa estará o seu nome.” (Ap 22:3-4). Glória! Senhor, me dirija à Sua árvore e eu cuidarei dela fielmente!

CONCLUSÃO

Sabe qual é a principal desculpa para os cristãos não servirem bem a seus patrões ? Não querem ser explorados. Para muitas pessoas, a palavra ‘exploração’ remete a escravidão e a todo tipo de trabalho árduo e duro.Logo se estão fazendo algum tipo de trabalho penoso, pronto! Já estão sendo escravizadas. O interessante é que termo ‘exploração’ remete ao fato de precisarmos uns dos outros para sobreviver, já que não produzimos tudo aquilo que necessitamos, por este ângulo, todos nós exploramos uns aos outros e todos nós ganhamos com isso.

Contudo, repare que em todo empresa tem alguma pessoa que vive reclamando de uma suposta exploração por parte do dono. Triste, é saber que no serviço Público é pior; É justamente ali que estão os murmuradores e descontentes que não deram certo nas empresas. A pessoa escolhe o emprego sabendo quanto vai ganhar e o que precisa fazer e depois de 3 anos tem estabilidade funcional até  sua aposentadoria, contudo nunca esta satisfeita. Quer ver o povo reclama do governo, da sociedade e principalmente do capitalismo e sua ‘exploração’, vai na cozinha de uma repartição pública, todos ali estão ganhando seu dinheiro no dia 30, mas poucos estão satisfeitos com o que tem.

Se este artigo gerou valor positivo para sua vida, eu tenho 2 livros publicados na Amazon que podem abençoar ainda mais a sua vida.Saiba como venci a depressão e ansiedade e como aprendi a conviver em paz com a minha família.Baixe o aplicativo Kindle  gratuitamente para o seu Smartphone ou computador.

jose-pq

As 10 Lições que aprendi com José

elias-pq

As 10 Lições que aprendi com o profeta Elias