Oi, leitor pra você que chegou neste Post, o título acima corresponde a 5º lição da CPAD para a classe de Jovens do 2º trimestre de 2017.

revista de jovens 2017-2
Comentarista:César m. Carvalho

Recentemente o ex-jogador de futebol e celebridade internacional, David Beckham, teve os conteúdos de emails trocados com um assessor de carreira, divulgados para a imprensa, nestes Emails é possível se observar que todo tipo de assistência social realizado pelo astro, tem como meta alcançar o status de cavaleiro do império ou SIR, para isso, Beckham faz de tudo para que seus atos de caridade fiquem conhecidos internacionalmente a fim de formar uma boa imagem de si mesmo perante a opinião pública, o que chamou atenção no caso foi o fato do ex-jogador reclamar por não estar dando certo seus ‘investimentos’ em caridade.

O caso de Beckham é apenas exemplo do que ocorria na época de Jesus, especificamente na hora de ofertar ou dar esmolas, os  judeus mais fervorosos faziam de tudo para que seus atos de caridade fossem notados, Jesus, ao condenar este ato, usou o termo’ tocar trombetas’ visto que a caridade era um meio de se ato promover perante a sociedade Judaica.

É importante se esclarecer que Jesus não condenou o ato de caridade, contudo, condenou o ato de mitigar a pobreza alheia como forma de se auto-promover. O fato é que dar esmolas fazia  parte da lei de Moises, na época da colheita, os judeus podiam colher o campo apenas uma vez,sendo proibido voltar atrás em buscas de espigas ou frutos que sobrara ou cairá pelo caminho, a idéia era que as pessoas necessitadas ao findar a colheita ,passariam por estes campos procurando o produto que sobrará.

A oração

fariseu moderno

Se você é um cristão evangélico, já deve ter presenciado algum sujeito orando de forma rebuscada e galante, antes da oração, o cara fala de um jeito e ai quando começa a orar em público sua voz fica grossa ou puxada, sua respiração fica ofegante sem motivo algum e as palavras saem com gemido similar ao que o cantor Luan Santana faz ao começar a cantar suas canções.  Saiba que este tipo de atuação é condenado por Jesus. O mestre não condenava ninguém por orar em publico, mas ficava insatisfeito quando o intercessor começava a usar a oração como meio de promover sua alegada santidade. Jesus preferia as orações secretas, aquelas que só você e Deus sabe o que esta acontecendo, o mestre evitava orar em público, geralmente orava no jardim do getsêmane ou em algum outro local privado na companhia de apenas 3 dos seus 12 discípulos.

Por fim Jesus ensinou a oração do ‘pai nosso‘ a fim de que seus discípulos tivessem um modelo de oração que pudesse agradar a Deus, contudo, ele ensinava que Deus não ouvia repetições ou mantras ( como se tornou a oração do Pai nosso), já que tais repetições mecânicas de palavras tiravam a essencial da oração, isto é, um diálogo com Deus.

O jejum

autopromoçao

O jejum de comida e bebida era uma prática comum para os judeus da época de Cristo, geralmente era feito, como forma de expressar arrependimento ou humilhação perante Deus, para os cristãos, a prática do Jejum é um meio de enfraquecer os desejos carnais e fugir da natureza humana que busca o pecado como meio de se auto-satisfazer. Jesus, novamente, condenou o ato de Jejuar para se auto-promover como santo. Na sua época, os Judeus devotos, adotavam procedimentos visíveis ao público para demonstrar que estavam jejuando, com isso passavam um atestado de santidade perante  a sociedade da época, foi por isso que Jesus os condenou, pois ao fazerem este tipo de ação, o jejum perdia a sua essência.

Conclusão

autopromoçao2

Nos dias atuais se tornou inevitável, que as pessoas pagãs usem a caridade como meio de autopromoção, contudo não deve ser assim o proceder cristão, é importante retirarmos todo o tipo de desejo autopromoção por meio de boas obras ou por atestado de santidade.

Anúncios