Este artigo faz parte do meu livro: As 10 lições que aprendi com Elias.

Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo [mais] do que o vestuário?(acf, 2007)

borboleta-presa
Ansiedade é viver preso por correntes invisíveis

Se preocupar com o amanhã é algo inerentemente humano. Se não tivéssemos preocupações, ninguém trabalharia, estudaria, ou se converteria ao senhor Jesus, afinal a preocupação com a eternidade sem cristo é que move o coração humano para perto de Deus, portanto, imaginar o amanhã e tentar se precaver é um aspecto natural do instinto humano, a questão é quando esse instinto se tornar problema, a este problema damos o nome de ansiedade, que significa rasgar, sendo que tal designação era dada ao navio que enfrentava uma forte tempestade, assim uma pessoa que esta ansiosa esta sendo surrado pelas intempéries da vida, outro importante, significado da ansiedade, está ligado a sua origem em uma antiga palavra inglesa, cujo significado é estrangular.

Ansiedade nada mais é do que uma preocupação descontrolada, e ao se manifestar no cristão é um sintoma da incredulidade em Deus, e a incredulidade impede o senhor de realizar maravilhas. Nas palavras de Hernandes Dias Lopes “A  ansiedade nos afasta de Deus. Onde começa a ansiedade termina a fé.  A  ansiedade é o útero onde é gestada a incredulidade.”

NA MARCA DO PÊNALTI, ESCORREGOU!

cara-no-chao

Quando observamos a vida do profeta Elias, infelizmente encontramos esta situação na ação mais crucial de sua vida e ministério, justamente, quando enfrentava os profetas de Baal no monte Carmelo, o mesmo toma uma decisão precipitada, motivado pela ansiedade de ver o culto a Baal extirpado da terra de Israel, contudo, ele vai além daquilo que o senhor havia ordenado, conforme se vê em 1 Rs 18:36,37 “Sucedeu que, no momento de ser oferecido o sacrifício [da tarde], o profeta Elias se aproximou, e disse: Ó SENHOR Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu [és] Deus em Israel, e [que] eu [sou] teu servo, e [que] conforme a tua palavra fiz todas estas coisas. Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo conheça que tu és o SENHOR Deus, e [que] tu fizeste o seu coração.”. Fica claro em sua oração o propósito divino, isto é, o povo reconhecer que só Jeová era o senhor e que Elias era seu porta voz, depois que fogo desce do CÉU consome o holocausto, o povo reconhece que Deus é senhor e Elias é reconhecido como profeta, contudo a partir do versículo 39 do capítulo 18 de 1 Rs, ele começa uma matança não autorizada por Deus, às provas são:

 1º os versículos 36 e 37 do mesmo capitulo que determina qual era a missão de Elias, isto é trazer o povo ate Deus e fazer-los reconhecer a soberania divina, conforme 2 Cr 7:14, é exatamente o que ocorreu.

2º ao ordenar ao povo que prenda os profetas de baal, Elias estava dentro do âmbito jurídico da lei moisaca, conforme Dt 13:12-18, porém ele perdeu o aval legal da lei ao matar os profetas de Baal, já que para isso era necessário um julgamento, e a execução era feita por todo o povo, no entanto não houve um julgamento, apesar da culpa dos falsos profetas de baal estar patente a todos e por fim, segundo a bíblia, pode se deduzir que só ele tomou parte na execução dos profetas.

3ª Deus não permitiu que Davi construísse um templo dedicado a sua adoração devido ao fato do mesmo ter as mãos cobertas de sangue, levando se conta que Deus não muda a suas leis e nem seus desígnios fica difícil imaginar Deus permitindo que o seu porta voz oficial na terra, faça parte de um massacre no nome dele.

4º Deus tinha um propósito para vida de Elias, que era usá-lo para trazer o seu povo de volta a sua presença, obviamente Deus já havia preparado outro homem para extirpar o culto à baal de Israel através da espada e este homem era Jeú, filho de Jeosafá, que foi ungido rei de Israel por um servo de Eliseu, mais tarde este rei reuniu todos os adoradores de baal em um só lugar e os matou não deixando nenhum sequer, conforme 2 Rs 10: 11-28.

5º Elias em todo o seu ministério esteve andando segundo a vontade de Deus, confiando em seu poder e provisão, no entanto, chama atenção que depois de matar os profetas de baal, essa confiança é abalada, o fato é que ao perceber que foi além do que Deus havia ordenado, sua primeira atitude é temer as conseqüências de suas ações, já que sabia que Deus não se comprometeria com o que não havia ordenado, assim quando Jezabel o ameaça de morte, o mesmo foge e começa a tomar uma serie de atitudes precipitadas.

Infelizmente não foi só Elias que permitiu que ansiedade  controlasse sua vida, eu também tive, os meus momentos de incredulidade, onde sem perceber Deus e sua vontade eram deixados de lado, em benefício da minha vontade de agir, em um destes momentos, fiquei desempregado vivendo com a minha avó, quase surtei, foi necessário eu ir passar algum tempo com a minha mãe para que pudesse esfriar a cabeça, o pior é que minha ansiedade era alimentada pela minha falta de Fé e por boatos que ouvia na igreja que frequentava, tipo: ele vive da aposentadoria da avó dele, ele não quer trabalhar, ele é folgado e por ai vai…  Hoje entendo que boa parte do que ocorreu foi aprendizado para resto da vida, mais o importante foi que não teria passado por isto tudo, se tivesse vigiado mais e não tivesse entrado em um modo ansioso. Eu posso dizer que esta marca eu carrego em minha mente e repito a todos: que todas as vezes que entramos em um estado de ansiedade, se permitimos que esta vontade descontrolada tome conta da fé em Deus, o resultado é catastrófico.

Vou parar por aqui. mas se quiser saber como venci a ansiedade e um pouco mais do meu trabalho, de uma olhada neste link da Amazon.