grama-verde-do-outro-ldao
Privação relativa: grama do vizinho é mais verde.

Você já se sentiu um lixo quando se comparou com as pessoas a sua volta? Eu creio que sim, todo ser humano em algum momento de sua vida, terá um dia de cão, um dia em que ele vai olhar para o quintal do vizinho e perceber que a grama dele é mais verde. Na maior parte das vezes esse sentimento de baixa autoestima é causado pelo transtorno psicológico chamado de privação relativa, este conceito foi desenvolvido por Samuel Stouffer durante a 2º guerra mundial, este sociologista americano  analisou um grupo de soldados e observou que entre eles haviam diferentes níveis de revolta e contentamento com toda a situação ao seu redor, sua principal descoberta era que os soldados que estavam em melhor situação em relação a média geral, eram os mais infelizes e revoltados com a vida e com seus superiores.

Mas qual é a definição de privação relativa? Pode ser resumido como um sentimento de revolta que surge quando comparamos alguma área de nossa vida (financeira, afetiva, familiar ou espiritual) com pessoas próximas a nós, a pessoa que esta com este sentimento têm a sensação de que esta sendo roubada é como se ela tivesse um direito a algo ou alguma coisa e não pudesse exerce-ló, a palavra ‘relativa’ explica que este sentimento de revolta, surge apenas quando comparamos a uma pessoa ou a um grupo que temos como referência de sucesso em uma determinada área da vida.

Um das missões deste blog é acabar com a idéia de Superman cristão e demonstrar aos cristãos que todos nós estamos sujeitos a este tipo de problema, a bíblia relata a história de um cara que teve este sentimento de revolta, o nome dele era Asafe, o mesmo foi um dos salmistas mais conhecidos na história de Israel, alguns de seus salmos estão escritos na bíblia, entretanto, em um desses salmos, o de nº 73, ele relata uma fase negra de sua vida, ao ponto de se revoltar contra Deus e achar que sua vida era um fracasso e que todo seu tempo gasto adorando a Deus fora inútil.

Na verdade, Deus é bom para o povo de Israel, ele é bom para aqueles que têm um coração puro. Porém, quando vi que tudo ia bem para os orgulhosos e os maus,Quase perdi a confiança em Deus porque fiquei com inveja deles”

Tudo começou quando ele passou a observar a vida dos judeus pagãos de sua época, ele notou que estas pessoas eram bem sucedidas na vida, tinha poder, riqueza, amizades e sexo fora dos planos divino, por outro lado, ele era um dos cantores do templo do senhor em Jerusalém, sua vida financeira dependia da generosidade do povo, se os israelitas obedecessem a Deus e trouxessem dízimos e ofertas ao templo, então ele e os demais sacerdotes e levitas teriam o que comer, vestir e calçar, contudo, se o povo falhasse com a oferta, Asafe e seus colegas tinham que largar tudo e buscar outro trabalho, esta instabilidade financeira também afetava sua vida familiar, afinal como ele poderia criar seus filhos sem dinheiro? Em resumo, a vida de Asafe e seus colegas eram uma constante incógnita, ou eles tinham fé no Deus que serviam ou tinham que buscar outros meios de sobreviver.

Parece que não adiantou nada eu me conservar puro e ter as mãos limpas de pecado. Pois tu, ó Deus, me tens feito sofrer o dia inteiro, e todas as manhãs me castigas.”

Toda esta situação gerou na mente de Asafe um sentimento de revolta contra Deus, ao comparar sua vida com a vida dos judeus pagãos, lhe pareceu que tudo que havia conquistado servindo a Deus era efêmero perto do que seus vizinhos pagãos tinham, aliás, aqui esta o 1º problema que a privação relativa nos causa, a falta de Fé, tanto a fé em Deus e em sua providência quanto à fé em si mesmo e na sua capacidade de trabalho, depois de perde a confiança na providência divina, Asafe começa a reclamar de sua vida e a murmurar contra Deus, naquele momento, Asafe se esqueceu de tudo que Deus fizera por ele e por sua família no passado.

Porém, quando fui ao teu Templo,entendi o que acontecerá no fim com os maus.”

Este é um dos maiores problemas que enfrentamos nos dias de hoje, principalmente entre os jovens, muitos de nós não conseguem perceber o quanto o mundo esta melhor para todos, o quanto a tecnologia tem nos ajudado a viver por mais tempo e melhor do que no passado, ainda assim, a um grupo de pessoas cada vez  maior reclamando da vida, da desigualdade de riqueza, da falta de oportunidade, e claro, também de Deus. O que estas pessoas não sabem é que se elas compararem suas vidas com a vida de seus pais ou avós perceberam o quanto estão confortáveis, aliás, foi o que Asafe fez ao entrar no templo do senhor, ele observou duas situações distintas:

Na hora da ofertas e dos dízimos, Asafe notou que as inúmeras pessoas dentro do templo eram diferentes entre si,entretanto,do mais rico ao mais pobre, todos traziam sua oferta de forma espontânea e com alegria, o motivo era que Deus havia abençoado a todos de alguma forma, a vida melhorava tanto para o rico quanto para o pobre, a prosperidade sobrevinha para todos, o erro de Asafe era querer que todos tivessem a mesma renda e o mesmo nível de riqueza, fazendo atividades diferentes.

Na hora de oferecer holocausto em prol da remissão de pecados, Asafe notou que tanto os ricos quantos os pobres precisavam da misericórdia divina, ambos eram pecadores, entretanto, por mais que o pecado fosse igual diante de Deus, o sacrifício oferecido sobre altar era diferente para ricos e pobres,os ricos traziam Gado bovino, os cidadãos de classe média traziam um cordeiro e os pobres ofertavam pombos ou rolinhas, Asafe notou que Deus era justo na hora da prestação de contas, quanto maior era a capacidade do individuo, mais Deus requeria dele.

O meu coração estava cheio de amargura, e eu fiquei revoltado. Eu não podia compreender, ó Deus; era como um animal, sem entendimento. No entanto, estou sempre contigo, e tu me seguras pela mão. Tu me guias com os teus conselhos e no fim me receberás com honras. No céu, eu só tenho a ti. E, se tenho a ti, que mais poderia querer na terra? Ainda que a minha mente e o meu corpo enfraqueçam, Deus é a minha força, ele é tudo o que sempre preciso.”

Depois que Asafe compreendeu estas duas situações, ele percebeu o quanto estava sendo ingrato para com Deus, sua inveja lhe fizera esquecer o que havia conquistado na vida, sua revolta fez com se esquecesse de sua capacidade de trabalho e criação, contudo, ele se arrependeu de sua revolta e reconheceu o quanto sua vida era feliz e não sabia.

Mas, quanto a mim, como é bom estar perto de Deus! Faço do Senhor Deus o meu refúgio e anuncio tudo o que ele tem feito.”

Se você leitor esta passando por um momento assim, vou lhe dar um conselho simples e objetivo que pode te ajudar a vencer a privação relativa. Pegue um caderno e comece a escrever um texto de gratidão a Deus. Comece pela sua infância, escreva tudo aquilo que você teve de bom e agradeça a Deus por isso, depois passe para adolescência e relembre os momentos felizes que passou com sua família, amigos e agradeça a Deus por estes momentos, depois escreva tudo o que você conquistou até aqui na sua vida, tanto bens materiais, quanto bênçãos espirituais ou relações afetivas que lhe trouxeram alegria e felicidade, não se esquecendo de agradecer a Deus por todas elas, no fim, você vai perceber duas coisas: 1º você não tem tudo o que quer.2º o que você  já tem, é o suficiente para te  fazer uma pessoa feliz e grata a Deus e a vida.

privacao-relativa
Nem sempre mais é melhor…
Anúncios