altar-igrejaOi, leitor pra você que chegou neste Post, o título acima corresponde a 6º lição da CPAD para a classe de Jovens do 4º trimestre de 2016, aliás se não leu a 5º lição clique aqui.

licoes-biblicas-de-jovens-do-4-trimestre-de-2016
Comentarista: Thiago Brazil

Quando se fala na palavra instituição, a maior parte das pessoas associa à palavra a idéia de burocracia estatal, onde uma pessoa atrás de uma mesa faz uma atividade rotineira, preocupada consigo mesmo e com o sistema estatal em si, na maior parte das vezes o público deve ‘se virar nos 30’ para conseguir atender as requisições da instituição pública, contudo, a palavra instituição também serve para uma empresa privada, para uma igreja, uma sociedade filantrópica, e no caso desta lição para a  adoração a Deus.

1.Israel, um povo cujo estilo de vida resume-se em adoração

Já observo que Deus é um ser extremamente organizado e metódico? É interessante que o todo poderoso não precisa que as coisas sejam organizadas e tenha ordem para que o mesmo exerça seu poder ou vontade, contudo, ao longo da bíblia vemos um Deus que ensina, exorta e ordena seus filhos a seguirem seu exemplo, obviamente que esta preferência divina pela organização esta presente no mais importante serviço oferecido aos seres humanos: a adoração. Não se esqueça disso, leitor: Deus tem padrão de qualidade no culto de seu nome, não é de qualquer jeito que Deus aceita a sua e a minha adoração a sua honra. O povo de Israel é exemplo do cuidado de divino com a organização, o propósito desta organização era o surgimento de instituições que servissem como guardiãs das leis divinas, a  principal instituição foi o sacerdócio vitalício da tribo de Levi, esta tribo deveria servir ao povo e a Deus como intermediadores entre as duas partes, suas funções iam além do mero exercício sacerdocrático, eram também juízes de causas relacionadas a santificação do povo perante Deus, também deveriam servir como exemplo de fé e dedicação a Deus para seu povo.

O que chama atenção da institucionalização da adoração em Israel, é sua padronização no louvor e no ensino da lei de Deus, nos dias atuais é comum encontrar pessoas que são contrárias as instituições pastorais ou a profissionalização dos serviços litúrgicos na igreja, obviamente não conhece o padrão de divino de profissionalização que Deus ordenou a Moises em relação aos levitas e sacerdotes.

  1. Critérios, normas e procedimentos para adoração em Israel

É interessante notar que Deus não permitia ao povo de Israel trazer qualquer oferta e oferecer como adoração ao seu nome, se fosse um animal teria que estar na lista dos animais puros divulgada pelos sacerdotes e levitas oficiantes, ainda sim o animal não poderia ter defeitos ou doenças, deveria ser perfeito. Caso o adorador quisesse ofertar cereais ou incenso, tinha uma quantidade e qualidade a ser cumprida para que o culto de adoração fosse aceito por Deus, depois de completar todas as exigências relacionadas à oferta e sacrifício, o adorador tinha que ofertá-las no lugar certo, não era qualquer lugar que poderia ser usado para adoração, por fim o adorador tinha que chamar um alguém separado por Deus para iniciar o culto de adoração.

Essa é uma das lições mais difíceis  para os cristãos contemporâneos,em especial os jovens cristãos, em todo lugar se houve falar de novas modas de adoração ou louvor, no fim o culto a Deus é apenas um tema ou pretexto para o ajuntamento da massa, cuja real intenção é se divertir.

  1. A institucionalização da fé hoje

Se você é cristão, já deve ter ouvido falar do fenômeno dos ‘desigrejados’ ou cristãos não praticantes,  uma das conseqüências da institucionalização da igreja é a fonte de influência e poder que a instituição cria, infelizmente nem todos que se dizem cristãos foram libertos do egocentrismo, para estes se tornar o ‘ dono de igreja’ passou a ser obsessão, obviamente, isso resulta em escândalos e dissensões no meio da comunidade cristã, um prato cheio para aqueles que têm uma vida superficial com cristo e que passam a usar estes exemplos de má liderança para justificarem a falta de compromisso com uma comunidade cristã e suas normas e regras, entretanto, o verdadeiro motivo para o número cada vez maior de ‘desigrejados’ é o pecado não confessado e amor ao mundo.

A institucionalização da igreja nada mais é do que um processo natural de crescimento e amadurecimento da comunidade cristã.

Anúncios